quinta-feira, 1 de julho de 2010

A Igreja Local de Witness Lee é Trinitariana Ou Modalista?


Observe o que diz o credo da Igreja Local de Witness Lee (chamarei doravante ILWL): “Deus é único e triúno – o Pai, o Filho e o Espírito – coexistindo em igualdade de eternidade a eternidade”. (O grifo é meu. Jornal Árvore da Vida / ano 16 – número 171, página 3). Para a ILWL, as pessoas da Trindade: Pai, Filho e Espírito Santo não subsistem, mas coexistem.

Este credo tem semelhança com os credos antigos? Não, vejamos:

“Há três pessoas na Divindade: o Pai, o Filho e o Espírito Santo; estas três pessoas são um só Deus verdadeiro e eterno, da mesma substância, iguais em poder e glória, embora distintas pelas suas prioridades pessoais”. (Catecismo Maior de Westminster).

“Pois da mesma forma que somos compelidos pela verdade cristã a reconhecer cada pessoa, por si mesma, como Deus e Senhor. Assim também somos proibidos pela religião cristã de dizer: Existem três deuses ou três senhores” (Credo Atanasiano).

Veja também outros credos mais atuais:

“Há um só Deus eterno, poderoso e perfeito, distinto em sua trindade: Pai, Filho e Espírito Santo”. (ICP – Instituto Cristão de Pesquisas).

“Creio em um só Deus eternamente subsistente em três pessoas: Pai, Filho e Espírito Santo”. (Igrejas Assembléias de Deus).

A ILWL não crer claramente na Trindade uma vez que nega a “subsistência”,  ao invés disso enfatiza a “coexistência”. Tornando Deus em Triúno processado e não numa Trindade.

O QUE SIGNIFICA “COEXISTIR”? Existir simultaneamente. Ora, isso é um conceito diferente de subsistir. O QUE SIGNIFICA “SUBSISTIR”? Existir na substância. Existir individualmente.

O termo “Trindade” surgiu para explanar que há três pessoas na divindade: Pai, Filho e Espírito Santo. Quando se afirma em um credo que Deus é “triúno” não se harmoniza de forma alguma com a didática da Trindade. Já temos a expressão: “trino Deus”, para explanarmos que Deus é três pessoas. Triúno é outra didática. Tem outro sentido. Essa palavra nem consta no dicionário português. Sugere a existência simultânea das três pessoas da divindade: Pai, Filho e Espírito Santo.

E a Bíblia? Ensina que Deus “subsiste” ou “coexiste” em três pessoas? É “Trindade" ou“Triúno”?

Abra a sua Bíblia e veja:

Em João 1.1 vemos que “o verbo” (Jesus) estava com “Deus” (o Pai). Temos aqui duas pessoas. Em João 8.16-18 vemos Jesus afirmar que não estava sozinho e apela para a Lei com o testemunho de duas pessoas, distinguindo ele do Pai. Em João 14.26, também 15.26, apresenta a individualidade entre Jesus, o Pai e o Espírito Santo. A Bíblia diz que o Pai enviou Jesus (Jo.5.37). Em 2Jo.3 mais uma vez, distingue-se o Pai do Filho. Ora, se o Pai, o Filho e o Espírito Santo coexistem, então esses textos seriam alegorias e não narrativas.
Vemos na Bíblia o emprego da terceira pessoa do singular usada pelo Pai para anunciar o Filho (texto A) e usada pelo o Filho para anunciar o Espírito Santo (texto B), revelando cada pessoa, por etapa:

(texto A) “O SENHOR, teu Deus, te suscitará um profeta do meio de ti, de teus irmãos, semelhante a mim; a ele ouvirás... Suscitar-lhes-ei um profeta do meio de seus irmãos, semelhante a ti, em cuja boca porei as minhas palavras, e ele lhes falará tudo o que eu lhe ordenar. De todo aquele que não ouvir as minhas palavras, que ele falar em meu nome, disso lhe pedirei contas”.(Dt.18.15,18,19 o grifo é meu).

(texto B) “Quando ele vier, convencerá o mundo do pecado, da justiça e do juízo... quando vier, porém, o Espírito da verdade, ele vos guiará a toda a verdade... Ele me glorificará, porque há de receber do que é meu e vo-lo há de anunciar” (Jo.16.8,13,14 o grifo é meu).

Em Mateus 3.16,17 diz: “Batizado Jesus, saiu logo da água, e eis que se lhe abriram os céus, e viu o Espírito de Deus descendo como pomba, vindo sobre ele. E eis uma voz dos céus, que dizia: Este é o meu Filho amado, em quem me comprazo”. Observe a seqüência: Jesus estava individualmente no rio Jordão, depois aparece o “Espírito Santo”, individualmente, como forma de pomba, e depois se ouve uma voz dos céus chamando Jesus de filho, onde se conclui que seja o Pai, individualmente falando. E com intervalos de revelação de cada um, por seqüência, interruptamente. Sem nenhuma simultaneidade. Temos aqui a existência de um trino Deus e não de um triúno Deus.

Finalmente, em Mateus 28.19 diz: “Portanto, ide, ensinai todas as nações, batizando-as em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo”. Ora, se houvesse uma concepção bíblica de  que Deus fosse “Triúno” ou Coexistisse em três pessoas, o texto supracitado não estaria escrito dessa forma. Teria que subtrair do texto as duas preposições “do” designadas ao Filho e ao Espírito Santo. Uma vez que existem simultaneamente e não interruptamente. Mas quando se coloca preposições para cada pessoa da divindade, implica em dizer que cada pessoa existe individualmente e interruptamente. No caso, se a Bíblia concordasse com esse pensamento, a passagem citada seria: “Portanto, ide, ensinai todas as nações, batizando-as em nome do Pai, Filho e Espírito Santo”.

O ARGUMENTO DE DEFESA DA ILWL

Os membros da igreja Local de Witness Lee não gostam de serem rotulados de “modalistas”. Quando abordados citam a página do livro “O que Cremos e Praticamos nas Igrejas Locais", página 20: “O modalismo é herético. Ao invés de ensinar que os Três da Deidade: o Pai, o Filho e o Espírito Santo, coexistem eternamente, o modalismo afirma que Eles são mera manifestação temporária da essência divina. Cremos de acordo com a Bíblia, que Deus é essencialmente três em um e um em três."

Também citam o livro "Revelação Básica nas Escrituras Sagradas", página 24: "Como cristãos. Cremos que há somente um Deus. Crer no triteísmo, que há três Deuses, é uma grande heresia. Temos somente um Deus, todavia nosso Deus é triúno. Ele é três em sua Divindade: o Pai, o Filho e o Espírito. Todavia Ele é um Deus... Os três são distintos, mas não separados. Quando o Filho veio, o Pai veio com Ele. Quando o Espírito veio, o Filho e o Pai vieram (João 14:17,23). Não cremos no modalismo, uma heresia que diz que quando o Filho veio, o Pai deixou de existir, e então quando o Espírito veio, o Filho deixou de existir, Cremos que Deus é três-um, o Pai, o Filho e o Espírito como um Deus coexistindo e coinerindo de eternidade a eternidade". (O grifo é meu).

Diante do que acabamos de ler acima, deixando de lado os outros muitos textos que a ILWL contradiz suas mesmas citações, o que há na ILWL na verdade é um novo ensino sobre o assunto. Parecido com “Modalismo”, mas não totalmente idêntico, pois acreditam nas três pessoas da divindade: Pai, Filho e Espírito Santo. Contudo, diferem do ensino trinitariano, pois conforme as partes sublinhadas por mim acima há diferenças. Vejamos:

Primeiro:
Na questão da coexistência e do termo “triúno” que já foi refutada acima. Esses termos não se hamornizam com “subsistência” e “trino”. São expressões antagônicas. Vejamos:

Trino: três pessoas distintas;
Triúno: três pessoas existinto simultaneademente.
Subsistência: existir individualmente, interruptamente;
Coexistêcia: existir simultaneamente.

Como você pode ver, são palavras diferentes.

Segundo:
A expressão “um em três” entra em contradição com o termo “coexistir”. Pois “um em três” tem haver com “subsistência”, e ambos os pensamentos são antagônicos como vimos anteriormente. Um anula o outro. A coexistência defende que Pai, Filho e Espírito Santo são simultaneamente um e outro, enquanto que a subsistência defende interruptamente a individualidade do Pai, Filho e Espírito Santo. Lembrando que nenhuns dos credos primitivos constam a palavra "triúno", "coexistir" ou "coexistência", sejam: Apostólico, Niceno, Atanasiano, definição Calcedoniana. E nem na confissão de fé dos reformadores  expressada em seus documentos: Catecismo Maior de Lutero, Confissão Belga, Catecismo de Heidelberg, Catecismo Maior de Westrminster, Confissão Escocesa, Confissão de Augsburgo, os  cinco Solas dos Reformadoes e as Institutas de Calvino. Você pode baixar aqui e aqui e confira.

Terceiro:
Na frase conclusiva: “Quando o Filho veio, o Pai veio com Ele. Quando o Espírito veio, o Filho e o Pai vieram”.  Da passagem citada de João 14.17,23, está fora de contexto:

O verso 17 diz que “o Espírito da verdade, que o mundo não pode receber, porque não o vê, nem o conhece; vós o conheceis, porque ele habita convosco e estará em vós”. Jesus não disse que o Espírito estava neles literalmente, o verbo está no futuro (estará em vós). Ele disse “habita convosco” pela onipresença do Espírito. A habitação do Espírito de Deus em Davi é semelhante. Davi pediu a Deus que não retirasse dele o seu Espírito (Sl.51.11). Os discípulos só receberam o Espírito após a ressurreição de Jesus (Jo.20.22).

O verso 23 diz “... Se alguém me ama, guardará a minha palavra; e meu Pai o amará, e viremos para ele e faremos nele morada”. É um termo condicionado ao futuro, resultado de sua obra redentora. Fato ainda não consumado naquele instante. Mas que não fecha a questão da coexistência.

Essa colocação de Jesus não deve ser interpretada literalmente, pois isso contraria ourtas passagens na Bíblia. A Bíblia diz que Deus estava em Cristo reconciliando o mundo, algo óbvio quanto a humanidade de Jesus (2Co.5.19). Mas não diz que o Pai veio a terra com Jesus. Não existe esta frase na Bíblia. Diz o contrário, diz que o Pai enviou Jesus (Jo.5.37; 7.29; Mt.10.40; Mc.9.37; Lc.10.16). Não existe simultaneidade da Trindade na Bíblia. Podemos encontrar textos que aparentemente digam isso, mas apenas expressões figuradas. Exemplo: Jo.14.8-11; 10.30; 1Jo.5.7,8. Ninguém que conhece a subsistência das pessoas da Trindade afirmaria que essas passagens sejam literais.

Jesus estava na cruz sozinho. Ele disse: “Deus meu, Deus meu, por que me desamparaste?” (Mt.27.46). Ele entregou seu espírito ao Pai (Lc.23.46). No batismo estava individualmente destacado. Depois da descida do Espírito Santo, quando Estevão estava morrendo disse cheio do Espírito Santo que viu o Pai e o Filho na glória (At.7.55,56). Obviamente dizer que “quando o Espírito veio, o Filho e o Pai vieram” literalmente é um ensino contrário ao da Bíblia. Podemos tomá-lo apenas como figurado. Pois as três pessoas da Trindade existem distintamente.

Quarto:
Finalmente, gostaria de citar uma última frase grifada por mim do livro "Revelação Básica nas Escrituras Sagradas", página 24: “Os três são distintos, mas não separados”. Ora, se as três pessoas da trindade são distintas elas são separadas. Pois o que se separa são as pessoas e não é a divindade. Assim como os modalistas a ILWL confunde as pessoas de Deus com a unicidade de Deus. O que está afirmando quando se diz que as três pessoas da divindade são separadas? Que são três deuses? Que são desligados? Apartados? Desunidos? Não! Está afirmando que são três “pessoas” distintas, separadas. Vamos ao dicionário: “distinto” – que não se confunde; diverso; diferente; separado, isolado. (dic. Aurélio XXI, os grifos são meus). Quando a Bíblia afirma que há um só Deus, a intenção dos seus escritores não era excluir a existência das três pessoas. Mas, a existência de outros deuses. Exemplo: 1Tm.1.17 (Paulo); Jd.1.25 (Judas); Dt.6.4 (Moisés); Is.44.6 (Isaías); Jo.17.3 (Jesus, narrado por João); etc.

Na preocupação desnecessária de não fazer uma confissão de fé Triteísta, esse tipo de declaração acaba negando a subsistência das pessoas da divindade. Não tem nada de economia divina, mas de complicação humana.

Então? A Igreja Local de Witness Lee é Trinitariana Ou Modalista?

Analisemos a definição das duas crenças em contraste com o que crê a ILWL para que possamos responder definitivamente e conclusivamente qual é a sua verdadeira confissão de fé:

Modalismo = a crença modalista acredita em um único Deus que se manifesta em três modos: Pai, Filho e o Espírito Santo. Deus é uma única pessoa. Para a ILWL é inconcebível aceitar que o Pai deixe de existir quando o Filho veio ao mundo e que o mesmo deixe de existir quando o Espírito veio também, uma vez que são “modos” e não “pessoas”. Contudo, o modalismo explica que Deus pode representar simultaneamente o Pai e o Filho e o Espírito Sano. Argumento usado pelos seguidores desta crença quando citamos o caso de Jesus no seu batismo. O que se assemelha com a teoria da simultaneidade ensinada pela ILWL. E se assemelha mais ainda quando afirmam que Deus teve três passos ou estágios. Como veremos a seguir:

Trinitarianismo = a crença trinitariana acredita em um único Deus imutável e eternamente subsistente em três pessoas: Pai, Filho e Espírito Santo. A ILWL é contrária ao ensino trinitariano? Sim, como já vimos nos pontos anteriores. Pois pregam que “coexistem”. Existir simultaneamente é diferente de existir individualmente, interruptamente. E é contrária ainda mais porque a ILWL acredita na subsistência das pessoas da Trindade em um PROCESSO e não IMUTAVELMENTE E ETERNAMENTE. Vejamos como Witness Lee explicou isso: “Alguns vêem problema na palavra ‘processado’ e argumentam que é impossível que Deus seja processado porque Ele é eterno e imutável. Embora Deus seja eterno e imutável, contudo Ele passou por um processo”. (Como Receber o Deus Triúno Processado, por Witness Lee. Editora Fonte da Vida, p.7). E ele continua desenvolvendo esse pensamente em outro texto: “Assim as três Pessoas da Trindade tornam-Se os três passos sucessivos no processo da economia de Deus. Sem esses três estágios, a essência de Deus nunca poderia ser dispensada para dentro do homem”. (A Economia de Deus, por Witness Lee. Editora Árvore da Vida. 1ª Edição – 1989, p.12,13).

Esse papo de dizer que “Embora Deus seja eterno e imutável, contudo Ele passou por um processo” é o mesmo que dizer: “é, mas não é”. Sendo que esse “mas não é” é opinião humana, descabida e herética.

CONCLUSÃO

A Igreja Local de Witness Lee definitivamente não é trinitariana. Assemelha-se muito com o ensino modalista. Uma vez que enfatizam a coexistência e a teoria do Deus Triúno e processado. Sua doutrina pode ser qualificada como uma ramificação do modalismo. Onde a diferença é que as pessoas não se anulam quando se manifestam sucessivamente, mas se acumulam em uma coexistência. Witness Lee mostra como é essa sua doutrina, e comprove sua ramificação ao modalismo:

“João 1.1 nos diz que a Palavra era Deus, e João 1.14 que essa Palavra tornou-Se carne. Deus tornou-se carne, isto é, um homem, e, esse Homem é a corporficação de Deus. Ele já não é mais misterioso; agora corporificado porque Se tornou um homem. Temos de perguntar se esse homem-Deus é o Filho ou o Pai. Temos que dizer que Ele é o Filho com o Pai. Deus tornou-Se carne e esse Deus é o Filho com o Pai. Quando Deus Filho tornou-Se carne, Ele tornou-Se carne com Deus Pai. Deus Filho, com Deus Pai, tornaram-se carne. Provavelmente nos disseram no passado que quando o Filho veio nascer como um homem, Ele deixou o Pai no trono no céu, mas a Bíblia nos diz que quando o Filho veio, Ele veio com o Pai”. (A Economia Divina, por Witness Lee. Editora Fonte da Vida, p.41).

A suposta “distinção” das pessoas que a ILWL afirma crer, na verdade não passa de um passo ou estágio sucessivo da revelação de Deus aos homens (por isso dizem: “distintos, mas não separados”). Primeiro o Pai, depois o Filho com o Pai e depois o Espírito com o Filho e com o Pai. Onde no final das contas, resultará em uma pessoa em três processos. Semelhante ao modalismo: uma pessoa em três modos. O que muda é só a palavra “processo” ao invés de “modos”.


Quando Witness Lee diz: "nos disseram no passado" ele já demonstra hostilidade aos próprios credos primitivos do cristianismo, como veremos mais adiante. E ainda, quando diz: "Deus Filho, com Deus Pai, tornaram-se carne" entra em contradição com a Bíblia. Pois Jesus (o Filho) disse claramente: "O Pai me enviou...". (Jo.5.37). Ver também: "Ninguém pode vir a mim se o Pai, que me enviou, não o trouxer". (Idem 6.44). E mais: "Eu testifico de mim mesmo, e o Pai, que me enviou, testifica de mim". (idem 8.18). Em fim, o Pai não está processado com o Filho. Que inclusive esse termo "processado" não consta em nenhum credo evangélico, protestante (nem mesmo católico) ou primitivo. Já ouviu falar em Patripassionismo? Pois o Sr. Witness Lee se influenciou nisso quando escreveu essas frases.


Witness Lee nega a subsistência das três pessoas: "Alguns teólogos tradicionais nos dizem que as três pessoas na Trindade divina: o Pai, o Filho e o Espírito, não devem ser confundidas e devem ser mantidas claramente separadas o tempo todo. Mas a Bíblia ensina que Jesus, o Filho de Deus, tornou-se o Espírito". (A Economia Divina, Witness Lee. Editora Fonte de Vida. Edição de 1987, p.71).


Witness Lee é hostil aos credos primitivos, não segue a ortodoxia, mas sim a heterodoxia, fato comprovado na sua repulsa pelo credo Niceno: "O Credo de Nicéia, que foi formulado em 325 a. D., não é completo...". (Idem, p.120). Diz isso porque o referido credo não alimenta a heresia do deus processado.


Portanto, a Igreja Local de Witness Lee é uma ramificação modalista. E sua teoria do Deus Triúno Processado é contrária a Bíblia, simplesmente porque Deus é imutável:

“Toda boa dádiva e todo dom perfeito são lá do alto, descendo do Pai das luzes, em quem não pode existir variação ou sombra de mudança”. (Tg.1.17).

“Jesus Cristo, ontem e hoje, é o mesmo e o será para sempre”. (Hb.13.8).

“Porque eu, o SENHOR, não mudo; por isso, vós, ó filhos de Jacó, não sois consumidos”. (Ml.3.6).

E porque Deus é subsistente em três pessoas: Pai, Filho e Espírito Santo:


"A graça do Senhor Jesus Cristo, e o amor de Deus, e a comunhão do Espírito de Deus seja com todos vós. Amém". (2Co.13.14).

Veja a importância de se crer corretamente na Trindade aqui: ver

Dúvidas e esclarecimentos escreva para: web-assessoria@bol.com.br
Direito de resposta: coloque abaixo seu comentário e aguarde a liberação do moderador do blog.

Nenhum comentário: