sábado, 3 de novembro de 2012

COMO O CRISTÃO DEVE TRATAR O ANTIGO TESTAMENTO (A.T.)













Concordância do N.T. com o A.T.
O apóstolo Paulo evidenciou a importância do A.T. Ele diz que foi para nossa instrução que houve a sua confecção (Rm.15.4). Ele também diz em outro texto: “Toda a Escritura é inspirada por Deus e útil para o ensino, para a repreensão, para a correção, para a educação na justiça”. (2Tm.3.16). O apóstolo Pedro nos disse que: “... homens santos falaram da parte de Deus, movidos pelo Espírito Santo”. (2Pe.1.20). O autor da carta aos hebreus escreveu: “Havendo Deus, outrora, falado, muitas vezes e de muitas maneiras, aos pais, pelos profetas”. (Hb.1.1). Em fim, vemos aqui pelas palavras dos apóstolos, o quanto o Antigo Testamento é útil para a vida do cristão. O nosso próprio Senhor Jesus disse: “Não penseis que vim revogar a Lei ou os Profetas; não vim para revogar, vim para cumprir. Porque em verdade vos digo: até que o céu e a terra passem, nem um i ou um til jamais passará da Lei, até que tudo se cumpra”. (Mt.5.17,18). Ele ainda disse: “... Escritura não pode ser anulada”. (Jo.10.35).

Distinção entre Israel e Igreja
Dado ao fato de ter sido considerado importante assim, precisamos saber como tratar com o Antigo Testamento, haja vista que somos gentios convertidos ao evangelho e fazemos parte do Novo Testamento. Como membros de uma Nova Aliança, fazemos parte da igreja de Cristo, diferente de Israel, que fizeram parte da Antiga Aliança. A Bíblia faz essa distinção:

Israel: Todos os judeus, descendentes de Abraão, Isaque e Jacó. Filhos da lei. Herdeiros das promessas da Antiga Aliança. Rm.9.4; Ap.7.4-8; Jo.1.11; Êx.3.7; Dt.7.6.

Igreja: Todos os cristãos espalhados pelo mundo inteiro, de todas as raças (Gl.3.27,28), convertidos pelo poder regenerador do Espírito Santo, filhos de Deus e herdeiros das promessas da Nova Aliança. 1Tm.3.15; Ap. 7.9-15; Jo.1.12; Mt.16.18; 1Pe.2.9.

Refutando a teologia da substituição
A igreja não substitui Israel, a igreja tem suas promessas distintas. Podemos citar alguns textos bíblicos que comprovam isso: Rm.11.1,2,28,29; Dt.30.3-6; Jr.32.37,38; Is.55.3; etc.

Fazendo o uso correto do A.T.
A Antiga Aliança vem para dentro da Nova Aliança, e aquilo que não tiver conteúdo moral, princípio e verdade viva se anulam pela superioridade da Nova Aliança. O que é abolido na lei é a sua capacidade de redenção do pecador. Por isso que se diz: “Portanto, por um lado, se revoga a anterior ordenança, por causa de sua fraqueza e inutilidade”. (Hb.7.18).
“Agora, com efeito, obteve Jesus ministério tanto mais excelente, quanto é ele também Mediador de superior aliança instituída com base em superiores promessas”. (idem 8.6).

Quando lemos o Antigo Testamento, embora sejamos pertencentes da Nova Aliança em Cristo, podemos extrair da aliança anterior suas práticas que tenham princípios e valores que colaboram com a vida e o caráter cristão e fazermos aplicações, deixando em sua época todo o cerimonialismo e costumes culturais. E isso se pode fazer usando as três meditações:

1)      Mandamento Universal (trata de leis que toda humanidade deve seguir)
É toda lei divina que pode ser aplicada em qualquer época e em qualquer cultura e que encontra apoio tanto no Antigo Testamento como no Novo Testamento. Exemplos: Não matar, não adulterar, não furtar, não cobiçar, encontramos apoio tanto no A.T (Êx.20.13-15,17) como no N.T (Rm.13.9). Não adorar imagens, temos em Êx.20.5 e em Mt.4.10.

2)      Princípio (trata assuntos primários estabelecidos por Deus)
É uma crença ou princípio imutável e que perdura por todas as alianças.Exemplos: Que há um só Deus, vemos isso em Is.44.6 e 1Tm.2.5. Que Deus abate o soberbo e dá graça aos humildes, vemos isso em Ez.21.26 e em Tg.4.6. O ato de contribuir financeiramente (o dízimo e ofertas) com obras relacionadas a fé comum (judaísmo e cristianismo) exercitando a generosidade e a gratidão a Deus (entenda mais sobre isso clicando AQUI). A circuncisão do coração (Rm.2.28,29). A separação de um dia para adoração ao criador e descanso (Êx.20.8). Que no caso, não se trata do sábado quanto mandamento local judaico (idem 31.16,17), mas do sábado quanto princípio, um dia, qualquer dia, que seja tributado ao criador.

3)      Verdade Prática (trata de atitudes que trazem lições para a vida)
São verdades que o homem vive, aprende e descobre na prática. Observadas ou não, acontecem em nosso cotidiano e geralmente estão nas narrativas das Escrituras. Exemplos: O pecado de Acã e a derrota de Israel (Js.7.1-26); Deus prova Abraão (Gn.22.1-24).

Infelizmente, alguns grupos facciosos do tipo: Adventismo do Sétimo Dia, Testemunhas de Jeová, Catolicismo Romano, Igreja Universal do Reino de Deus, Movimento G12, Congregação Cristã do Brasil, tem feito mau uso do Antigo Testamento criando uma celeuma muito grande, anulando a graça divina e se rebelando ao desígnios de Yahveh para com o seu povo Israel. Roubando promessas que não são para eles.


Dúvidas e esclarecimentos escreva para: web-assessoria@bol.com.br
Direito de resposta: coloque abaixo seu comentário e aguarde a liberação do moderador do blog.

Nenhum comentário: