sábado, 27 de agosto de 2011

A MACUMBA DO RETETÉ



Macumba do reteté from Daniel73222 on Vimeo.

Dúvidas e esclarecimentos escreva para: web-assessoria@bol.com.br
Direito de resposta: coloque abaixo seu comentário e aguarde a liberação do moderador do blog.

terça-feira, 23 de agosto de 2011

QUAL É O SIGNIFICADO DE RETETÉ?













RETETÉ = REsultado de Teor Emocional com Tensão Esquizofrênica.


Dúvidas e esclarecimentos escreva para: web-assessoria@bol.com.br
Direito de resposta: coloque abaixo seu comentário e aguarde a liberação do moderador do blog.

segunda-feira, 8 de agosto de 2011

A TEOLOGIA RELACIONAL Uma teologia que nasce da cartilha de Joseph Smith e dos ditames do Humanismo















UMA COLA DA HERESIA DE JOSEPH SMITH

Essa inovação teológica rezou na mesma cartilha de Joseph Smith (genitor do Mormonismo). Teólogos e pastores em fortes crises doutrinárias e espirituais criaram nos Estados Unidos uma nova versão da teoria de Joseph Smith: “Teísmo Aberto”; esta teoria também chegou ao Brasil através dos pastores simpatizantes com o nome de “Teologia Relacional”.

Assim, como era característico de Joseph Smith, resolveram atacar todo mundo. Eles Atacam: as igrejas evangélicas afirmando que ser "um barco que faz água"; os fundamentalistas afirmando que "amam mais a verdade do que a vida"; os apologétas afirmando que a apologia é “broxante”; os pais da igreja de serem "influenciados pela filosofia grega" para criarem o “mito” do Deus eterno e imutável e acusam os crentes ortodoxos de “ortodoxolatria”.

A moda agora é “junta tudo”, num genuíno ecletismo. Onde também não deixa de fazer ligação com a teoria de Joseph Smith, onde o mesmo também já disse no livro “Uma Obra Maravilhosa e Um Assombro” pág.10 que a missão da Igreja verdadeira é a de reunir numa só as verdades que se encontram em todas as outras.

Assim, a teologia relacional tem fortes ligações com a teoria de Joseph Smith, que vem agora mais sutil do que nunca, sofrendo apenas algumas mutações.

As características são idênticas, se não vejamos: