segunda-feira, 2 de novembro de 2009

É CORRETO BATIZAR PESSOAS AMASIADAS?













Tenho visto muitos pastores de igrejas evangélicas batizarem pessoas que vivem intimamente ligadas sem serem conjugalmente unidas pelos laços do matrimônio. E diante disto surgem questões semelhantes a esta: “Uma mulher que aceitou a Cristo e deseja se batizar, mas há 20 anos vive amasiada com um homem que não aceitou a Cristo. Devemos batizá-la?”.
3
Em primeiro lugar, antes de responder esta pergunta devemos definir a palavra “amasiada”: Quem vive em mancebia, amigada, amante, amásia, concubina, mulher ilegítima.

Em segundo lugar, cuidado com aquilo que é extra bíblico, pois pode se transformar em antibíblico, por isso devemos ponderar bastante assuntos desta natureza. Não podemos fechar a questão assim sem uma análise bíblica acurada como se fôssemos “Papas”, notem que a base do protestantismo é a Bíblia Sagrada: “Sola Scriptura”. Rezamos que a Bíblia é a “única regra infalível de fé normativa para vida e o caráter cristão”.

RESPOSTA APOLOGÉTICA AO NÃO BATIZAR PESSOAS AMASIADAS

O batismo nas águas tem único objetivo, o arrependimento dos pecados, “apareceu João Batista no deserto, pregando batismo de arrependimento para remissão de pecados”. (Mc.1.4). A palavra “arrependimento” significa “largar o pecado”, “dar meia volta”. Uma pessoa que deseja se batizar deve está sinceramente “arrependida” de seus pecados. “Respondeu-lhes Pedro: Arrependei-vos, e cada um de vós seja batizado em nome de Jesus Cristo para remissão dos vossos pecados...”. (At.2.38).

Uma pessoa amasiada tem duas opções para se batizar: Deixar o pecado ou casar-se! Uma pessoa amasiada, à luz da Bíblia, é uma pessoa que está em “fornicação”. Em Hb.13.4 versão BJ diz: “O matrimônio seja honrado por todos, e o leito conjugal, sem mancha; porque Deus julgará os fornicadores e os adúlteros”. (o grifo é meu). Nas versões: ARA diz “impuros”, ARC/ACF “prostituição”, BLH/NVI “imorais”, AEC “devassos”. Todas estas palavras são traduções da palavra grega “pornos”: Relação sexual ilícita, fornicação, sexo fora do casamento.

O casamento é uma instituição divina, Deus quando formou o primeiro casal Ele os uniu em uma aliança (Gn.2.18-24). O sacerdote foi o próprio Deus (Gn.1.27,28). Essa “aliança” vem sendo celebrada em todos os tempos por sacerdotes, juizes ou pessoa de autoridade constituída. O casamento é a união legítima de homem e mulher. Seja celebrado civil, religioso, ambos estão submisso à autoridade constituída por Deus: “Toda alma esteja sujeita às autoridades superiores; porque não há autoridade que não venha de Deus; e as autoridades que há foram ordenadas por Deus”. (Rm.13.1 o grifo é meu).

Toda aliança matrimonial precisa de um sacerdote. A antiga aliança foi constituída por sacerdotes, a nova aliança foi por Jesus Cristo, o nosso sumo sacerdote. Nos clãs das civilizações antigas o pai era reconhecido como sacerdote. O pai da família, na ausência do sacerdote, juiz ou autoridade constituída, tem autoridade de celebrar o casamento. Na ausência de todos estes, Deus será o sacerdote!

QUESTÕES FEITAS PELOS DEFENSORES DO BATISMO DOS AMASIADOS

Questão 1: “Uma pessoa amasiada vai subir?”. (Ir para o céu, ser arrebatado).

Refutação: Quem formulou esta pergunta igualou “salvação” com “batismo”. Pois se eu dissesse que sim, viria uma segunda pergunta: “Então porque ela não pode se batizar?” Ora, a salvação tem a ver com o “crer” (At.16.30,31) e o batismo está ligado ao “arrependimento dos pecados” (Mt.3.11a). O ladrão da cruz não era batizado em águas, mas acreditou em Jesus, isso foi o suficiente para sua salvação (Lc.23.43). Marcos 16.16 não iguala “salvação” com “batismo”, pois na segunda sentença aborda somente o “não crer” para ser condenado!

Questão 2: “Deus faz diferença de pecado?”.

Refutação: Se eu dissesse que não, então uma pessoa amasiada também pode se batizar, pois todos nós cometemos pecados. Ela só é mais uma pecadora se batizando. Porém, levando em consideração que o batismo é para o arrependimento de pecados, assim ninguém deveria se batizar, uma fez que eu deveria “largar” o pecado? Quem seria digno de se batizar?
E se eu dissesse que sim? Há “pecadinho” e "pecadão” para Deus? Acredito que estamos temporariamente sob o jugo da natureza pecaminosa (1Jo.1.10), mas fomos nascidos de Deus para não vivermos em pecado (1Jo.3.9). E quem vive amasiado não pecou esporadicamente, ele está na prática pecado.

Questão 3: “Mas se o companheiro (a) descrente não quer casar?”.

Refutação: Eu respondo esta pergunta com outra: Mas se um casal de jovens cristãos confessasse que transam? o que os pastores diriam para eles? Que continuem num relacionamento que os faz pecar? Com certeza seriam disciplinados e depois orientados a acabarem o relacionamento ou se casarem (ver 1Co.7.9). Qual a diferença de um casal assim para um casal de amasiados? Só por que não estão morando no mesmo teto?
Devemos entender que o batismo não salva. É apenas uma ordenança de Jesus Cristo (Mt.28.19; Mc.16.15,16). Mas, para o cumprimento desta ordenança é necessário o arrependimento dos pecados. Sem o qual não se efetua o batismo!

Questão 4: “Se os dois vivem juntos há tanto tempo. E convivem maritalmente um para o outro. Já não são ‘uma só carne’?”.

Refutação: Tem um ditado popular que diz: “uma mentira sendo dita várias vezes se transformará em verdade”. É o que acontece com pessoas que vivem juntas a 20, 30, 40 anos. Pensam que pelo “tempo” de estarem juntos tornam-se “marido e mulher”. Enquanto que a Palavra de Deus diz: “... eu sou o SENHOR, teu Deus, Deus zeloso, que visito a iniqüidade dos pais nos filhos até a terceira e quarta geração daqueles que me aborrecem e faço misericórdia até mil gerações daqueles que me amam e guardam os meus mandamentos”. (Êx.20.5).

O fato de duas pessoas transarem apenas entre si não os torna marido e mulher. Se for assim o casal de namorados cristãos que transam já são marido e mulher. Para quê casar então? Paulo faz a diferença: “Mas, se vocês não podem dominar o desejo sexual, então casem, pois é melhor casar do que ficar queimando de desejo”. (1Co.7.9 BLH). A Bíblia não considera o viver em fornicação (do grego: pornos), adultério (idem: moichao) ou prostituição (idem: porneia) como um matrimônio (idem: gamos), embora Paulo use a expressão “uma só carne” numa relação com uma prostituta em 1Co.6.16. Você chamaria prostituição de casamento? Paulo não estava usando o assunto para chegarmos a esta conclusão. A verdade central do texto era que não dava para os irmãos de Coríntos viverem em união com o pecado e ao mesmo tempo em união com Deus.

Aos pastores que batizam pessoas nesta situação deixo as palavras de Paulo ao jovem pastor Timóteo: “Tem cuidado de ti mesmo e da doutrina. Continua nestes deveres; porque, fazendo assim, salvarás tanto a ti mesmo como aos teus ouvintes.” 1Timóteo 4.16

Fontes de pesquisa:
Bíblia Online da SBB 3.0 com as versões ARA, ARC, BLH e léxicos grego e hebraico
Dicionário eletrônico Michaelis-UOL
Bíblias: Jerusalém, Almeida Corrigida Fiel, Almeida Edição Contemporânea e NVI

25 comentários:

claudiopimenta disse...

gostaria se possivel que desse uma olhada com atençao neste texto tambem muito esclarecedor

http://coisasdeacreditar.blogspot.com.br/2009/09/divorcio-e-repudio-qual-diferenca.html


sem falar que o casamento civil no brasil tem apenas 123 anos ou seja o casamento civil foi legalizado ha apenas 123 anos ocmo fica a questao ? antes de haver essa lei ?

claudiopimenta disse...

veja ai com atençao que o casamento civil e novo
hoje temos ai tambem outras formar do contrato do casamento se mfalar que a lei reconhece a unicao estavel
http://www.mmibrasil.com.br/noticia/instituicao_do_casamento_civil_no_brasil_comemora_123_anos

Daniel D. disse...

ANTI-HERESIAS COMENTA: Eu compreendo a colocação de Cláudio Pimenta. Todavia, o casamento civil evita a poligamia, evita erros de casamentos duplos, evita anulamentos e pela burocracia aplicada evita ou pelo menos prolonga o divórcio. Lembre-se que a séculos atrás o líder religioso para certificar-se de que estava fazendo uma união legítima tinha que perguntar aos presentes se alguém tinha algo contra aquela união.

Anônimo disse...

Esclareça um pouco mais a questão 03. Não houve uma resposta concreta: a resposta seria largar o companheiro e batizar, ou, se o batismo, não é requisito para a salvação, pois sabemos que quem salva é Jesus, ela pode ficar com o companheiro sem batizar que mesmo assim estará salva, pois crê no Senhor Jesus.

Daniel D. disse...

ANTI-HERESIAS COMENTA: Ao sr. Anônimo, respondendo sua dúvida: Quando disse que o "batismo não salva" não abro precedente para as pessoas ficarem no pecado. Disse isso porque tem heresia que divulga ser o batismo meio de salvação. o batismo não salva. O batismo é uma atitude de quem experimenta a salvação. E não o contrário disso. E quem experimentou a salvação, com certeza vai abandonar a prática do pecado (cf 1Jo.3.9). Inclusive a vida amasiada. Ou casando-se com o companheiro(a) ou abandonando(a).

Anônimo disse...

Então tá.Tenho minha família e não sou casada nem religioso nem civil.quero me batizar.tenho que deixar meu marido para me batizar?ele não quer casar,ja vivemos juntos há muito anos.Foi o unico homem na minha vida.Então eu estou em pecado e continuo pecando por estar com ele e não posso me batizar?

Daniel D. disse...

ANTI-HERESIAS COMENTA: A sra. Anônima, respondendo suas inquietações: De fato, o batismo nas águas exige de nós o arrependimento. Se você não reconhece que está em pecado vivendo amasiada, como poderá ir às águas? O apóstolo Pedro respondeu: "... Arrependei-vos, e cada um de vós seja batizado em nome de Jesus Cristo, para remissão de vossos pecados; e recebereis o dom do Espírito Santo". (At.2.38).

Anônimo disse...

Olá .entendo a importancia do casamento, e concordo que sim, seja uma aliança perpétua. Fui casada a nove anos com o qual tive tres filhas.Dediquei-me e o amava. Ele era semi analfabeto,orava por ele, incentivei seus estudos, e no tempo de Deus abriu-se as portas. Conseguiu um excelente emprego e voltou a estudar.Mas devido ao uso constante de drogas, agressões fisicas veementes e frequentes adultérios, cansei-me da situação e decidi deixar de vegetar e finalmente viver. Após 3 anos de separação conheci meu atual companheiro com o qual vivo em comum a 4 anos e tenho com ele um filho.Antes de nos unirmos, procurei o meu ex-marido para que oficializassemos o divórcio mas o mesmo não queria assinar, porque não havia uma definição na partilha do unico bem : a casa, em que morava nossas filhas e eu.Após muita insistencia de minha parte enramos em acordo e eu compraria a parte dele no imóvel. Fomos juntos ao juridico e assinamos todos os papéis, e fomos orientados a somente aguardar um telefonema para buscar a averbação da certidão de casamento. Ainda estou na espera. Então, desde que conheci meu atual companheiro, não me conformei com o título de amasia, e não nos casamos ainda, não é porque não queiramos e sim por uma morosidade do judiciario que ja perdura mais de dois anos.Quando cheguei na igreja com minha familia, os pastores sabendo de nosso amor e bom desempenho na obra, nos indicou para liderança de departamentos, dos quais me esquivei por causa da minha condição civil. Mas devido a muita insistencia do pastor e necessidade gritante do departamento em questão, departamento infantil, do qual NENHUM MEMBRO CASADO, quis e quer assumir o posto, eu abracei a causa, mesmo sabendo o pastor e eu assumimos todos açoites que me esperavam. O trabalho missionario com crianças cresceu de uma tal maneira que me surpreendeu, de 11 crianças , passamos a 63 , no periodo de 2 anos de trabalho árduo, e só não cresceu mais por falta de recursos e pessoas, e não por falta de vontade. Recentemente, uma pessoa q ocupa também um lugar importante na eclesia, não sei se por ciúmes na Obra, não sei os seus motivos se alterou no calor da conversa, e disse com as seguintes palavras: "Não chamei voces para o evangelismo, porque, não os considero como obreiros, e nem como coisa alguma neste Corpo.Nem membros são. Voces são pecadores, fornicários, homem que casou-se com a mulher de outro. Não são dignos de trabalho algum dentro da igreja, têm é que sentar-se e ouvir.Fiquei estarrecida diante de tanta hostilidade e ódio. Quer dizer o nosso pastor sabia da nossa condição e no inicio eu fui irredutivel, mas agora esta aí.Sei que ninguem é insubstituivel, mas uma mudança certamente "chacoalharia a figueira". Minha opinião é: que ninguem se conforme com o estado de amasiado e saia desta condição, mas que também vigiem para não discriminar pessoas, pois nem todos são leigos, e pode-se acabar respondendo na justiça por danos morais, só porque não vigiou na língua. Mas em breve vou me casar e será mais um dia de vitória e exaltação do Senhor em Nome de Jesus.

Carlos Geovane disse...

O Senhor trata de dois amasiados cristãos. Mas e quando apenas a mulher se converte e o homem permanece no seu estado de descrente, porém consentindo em viver com ela???

1)ELA DEVE SE SEPARAR DELE? 2)ELA PODE CASAR COM ELE (MESMO SENDO ELE DESCRENTE)?

Joel Paixao disse...

Pastor: Paixão
"Santifica-os na tua verdade; a tua palavra é a verdade." (João 17:17)
Por mais que os homens queiram impor sua vontade com verdade bíblica a verdade continua com A Bíblia que é a Palavra de Deus.
De acordo com as Escrituras Sagrada o Principio para batizar alguém é fé:
Atos 08: 37 E disse Filipe: É lícito, se crês de todo o coração. E, respondendo ele, disse: Creio que Jesus Cristo é o Filho de Deus.
38 E mandou parar o carro, e desceram ambos à água, tanto Filipe como o eunuco, e o batizou.
"Quem crer e for batizado será salvo; mas quem não crer será condenado." (Marcos 16:16)
O próprio Jesus disse:
Mateus 28: 19 Portanto ide, fazei discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo;
20 Ensinando-os a guardar todas as coisas que eu vos tenho mandado; e eis que eu estou convosco todos os dias, até a consumação dos séculos. Amém.

Então a ordem é os que crer ser batizados e ensinados.

Os apostolos fizeram o mesmo:

Atos 02: 40 E com muitas outras palavras isto testificava, e os exortava, dizendo: Salvai-vos desta geração perversa.
41 De sorte que foram batizados os que de bom grado receberam a sua palavra; e naquele dia agregaram-se quase três mil almas,

Esta Escrito: Sede santos, porque eu sou santo." (I Pedro 1 : 16)

Esta santidade é alcançada diariamente, com o ensino da Palvara.

O que passar disse é doutrina de homens e não ensino bíblico.

Daniel D. disse...

Meu caro Joel, estamos falando aqui sobre arrependimento. E arrependimento não é doutrina de homens. Confira na sua Bíblia. Não podemos desassociar o batismo do arrependimento. Confira Atos 2:38; Marcos 1:4; etc. Portanto, esse discurso do amado só gera pessoas amasiadas dentro da igreja. Protelar o casamento para depois do batismo só favorece os acomodados que não querem casar. Para tua reflexão: "Venerado seja entre todos o matrimônio e o leito sem mácula; porém, aos que se dão à prostituição, e aos adúlteros, Deus os julgará". Hebreus 13:4

Daniel D. disse...

Olá Carlos Geovane, respondendo sua pergunta. Lembro-te que o apóstolo Paulo escreveu sobre a convivência de esposa cristã com marido descrente (Cf.1Co.7.13-16), logo, se não é marido está no pecado. Então, o que uma mulher convertida de verdade deve fazer? Sair do pecado. Quanto a casar com um companheiro descrente não é aconselhável, mas seria melhor do que viver amasiada com ele.

Daniel D. disse...

Minha cara irmã anônima que faz o trabalho infantil na igreja: Lamento o ocorrido. Você vai vencer. É percebível em seu comentário que há o desejo de casar-se e cumprir e honrar o matrimônio. Lamento o casamento anterior em que envolveu adultério da parte do seu ex-marido. O perdão sempre será o primeiro conselho para casos assim. Todavia, biblicamente, você, como cônjuge traído, não há condenação para divórcio e um novo casamento (Cf.Mt.19.9). Que Deus lhe ajude nesse processo na justiça e venha a casar-se e que você possa fazer a obra de Deus em paz com sua consciência.

Anônimo disse...

vivo com meu marido á 16 anos,quero muito me casar,mas pra ele esta fora de cogitaçao,ele diz que casamento estraga relacionamento,sei que é pecado,temos uma vida estável,somos felizes,mas nao consigo faze-lo aceitar se casar,o amo muito e sem ele é dificil viver,pois estou com ele desde meus 17 anos,sinceramente nao sei o que fazer,preciso de uma ajuda.

Anônimo disse...

E quando foi que você passou um dia sem pecar?

PR MARCELO CINTRA disse...

Conheci hoje teu blog e gostei muito , por misericordiador sou também estudante das sagradas escrituras , se possível quero a permissão para copiar algumas de tuas postagens , Deus te abençoe .

Daniel D. disse...

Fique a vontade caro Pr Marcelo, apenas identifique o link da minha página. Paz de Cristo.

Daniel D. disse...

Meu caro Anônimo, devolvo a pergunta para você: e quando foi que eu disse que o batismo é para quem não tem pecado?

Daniel D. disse...

Minha cara anônima, na Bíblia etá escrito: "... Amarás o Senhor, teu Deus, de todo o teu coração, de toda a tua alma e de todo o teu entendimento. Este é o grande e primeiro mandamento". (Mt.22.37,38). Uma pergunta que não quer calar: Você ama a Deus mais do que tudo? Se a resposta for sim, então você sabe o que tem de fazer né?

Anônimo disse...

Daniel D. , v. comentou que 'você, como cônjuge traído, não há condenação para divórcio e um novo casamento'. Gostaria de um esclarecimento: No caso de eu não ser o cônjuge traído, mas aquele que traiu, pois há 40 anos traí meu marido e nos separamos. Há 26 anos me converti ao Senhor Jesus e obviamente me arrependi. Até hoje vivo só porque o entendimento da igreja é o de que o cônjuge traído tem o direito de se casar, pois é a parte inocente. O que v. pensa quanto ao cônjuge que traiu, porém arrependeu-se sinceramente do seu pecado, convertendo-se ao Senhor Jesus? À luz da Bíblia, ele está condenado a viver uma vida solitária e peca se contrair novas núpcias, visto que o ex-marido casou-se novamente? Obrigada pelo esclarecimento!

Daniel D. disse...

Para a anônima acima: Minha cara, essa é uma pergunta difícil. Mas, surge um entendimento hoje entre os teólogos que, se a parte que traiu, caso busque o perdão com o seu cônjuge traído, e este não perdoá-lo e isso ficar bem decidido. Isto é, o não acolhimento e perdão da parte traída, a mesma estará condenando o que traiu a viver o resto da vida no adultério ou até expô-lo a fornicação e prostituição. Nesse caso, fica o que traiu livre para o divórcio e novo casamento. Porém há ainda muitas discussões sobre o assunto.

Anônimo disse...

oi..minha cituaçao e bem dificil..mi relaciono com uma pessoa q me traiu o nosso relacionamento quase todo,,com homens e com mulheres...eu tbem cometi muitos erros com ele....mas hoje ele c arrependeu ih eu tbem...estamos indo para igreja.com pouca frequencia mas vamos,,,estamos amasiados..eu sei q estamos em pecados....oque fazer,,

Anônimo disse...

Fico feliz com tantas perguntas e grandes respostas...
E a vc Daniel D suas respostas são muito satisfatória,Deus o abençoe com sua sabedoria.

Daniel D. disse...

Minha cara anônima, o texto de Hebreus 13.4 responde sua pergunta. Confira.

francisco ribamar savino junior savino disse...

A PAZ DO SENHOR A TODOS.EU VIVIA AMIGADO 7 ANOS A IGREJA ME CASOU PRIMEIRO POIS HAVIA DATAS DIFERENTES ENTRE O BATISMO E O CASAMENTO.POREM MINHA ESPOSA NÃO QUERIA CASAR ENTÃO EU A MANDEI EMBORA ELA DECIDISSE OU CASA OU SAI DE CASA POIS PARA MIM IMPORTA AGRADAR A DEUS NÃO AOS HOMENS.ENTÃO ELA ACEITOU NOS CASAMOS E DEUS FOI E E TESTEMUNHA NO MEU CASAMENTO E MAIS INTERESSANTE E Q DEPOIS Q CASAMOS AS BRIGAS PARARAM E EU PASSEI A AMAR MAIS MINHA ESPOSA E O SENHOR JESUS ME DEU 2 FILINHAS.