sexta-feira, 2 de setembro de 2011

QUESTÕES ABERTAS E FECHADAS DA BÍBLIA


A princípio, vamos definir o que é uma questão aberta ou fechada. Toda questão onde a Bíblia silencia ou não dar uma opinião clara com bastantes referências ou não há biblicamente uma harmonia geral, podemos estar certos que estamos diante de uma questão aberta. E no oposto dessa definição temos a questão fechada.

Quando sabemos distinguir e definir uma questão aberta ou fechada. Saberemos nos comportar diante das discussões doutrinárias e práticas da Bíblia.

QUESTÕES FECHADAS

Existe um grupo de doutrinas da Bíblia que hoje são questões fechadas. Tais como: A volta de Cristo, a ressurreição de Cristo, o perdão dos pecados por meio da morte de Jesus, a salvação pela graça, a inspiração verbal da Bíblia, a presciência de Deus, a soberania divina, a divindade de Cristo, a doutrina da trindade, a humanidade de Jesus, o ministério pastoral, a igreja, o dízimo, a ceia do Senhor, o Batismo nas águas e etc. Bem como existe um grupo de práticas que a Bíblia condena, pois são questões fechadas. Tais como: o homossexualismo, o alcoolismo, o espiritismo, a heresia, a inveja, a glutonaria, a idolatria, a fornicação, a prostituição, o adultério, o homicídio e etc. Essas questões são bem explícitas na Bíblia, com referências e de harmonia geral entres os livros da Bíblia. Todo cristão tem o dever de preservar e defender qualquer ameaça. Agindo com zelo pela doutrina e pela piedade cristã. “Amados, quando empregava toda a diligência em escrever-vos acerca da nossa comum salvação, foi que me senti obrigado a corresponder-me convosco, exortando-vos a batalhardes, diligentemente, pela fé que uma vez por todas foi entregue aos santos”. (Judas v.3). Ora, se não existem questões fechadas na Bíblia ou se todas as questões da Bíblia são abertas. Então não há uma verdade absoluta e não há uma só fé. Assim mergulharemos no relativismo secular. Cairemos no relativismo das doutrinas bíblicas.

QUESTÕES ABERTAS

Por outro lado, há na Bíblia, algumas doutrinas não definidas claramente ou pontos de vista de doutrinas já fechadas, mas não são tão claros. Em ambos os casos são consideradas questões que ficam em aberto. Tais como: a volta de Cristo antes, durante ou depois da tribulação, predestinação e livre arbítrio, soberania divina versus vontade humana, a existência do mal e etc. Há também questões práticas como o consumo de vinho fermentado ou não, assistir ou não filmes de ação, praticar ou não outros tipos de relação sexual no casamento, proibir o uso de certas vestimentas, adornos e atavios, assistir ou não novelas, comer ou não comer carne, orar só de joelhos, participar ou não de jogos de loteria, privar ou não os crentes que estão sob disciplina de participarem da santa ceia, ouvir ou não músicas não cristãs e etc.

Quem se põe a batalhar por estas questões na verdade corre o risco de contendas sem limites. Onde a Palavra de Deus nos adverte claramente: “Evita discussões insensatas, genealogias, contendas e debates sobre a lei; porque não têm utilidade e são fúteis”. (Tito 3.9). Cabe a cada cristão individualmente fazer uso de sua consciência e fazer sua escolha, sem uma pressão de que aquilo que se esteja fazendo tem uma reprovação ou aprovação da Bíblia. Uma fez que a mesma não dar uma explanação sobre o assunto. Nestes casos, a Bíblia dá algumas orientações:

“Todas as coisas me são lícitas, mas nem todas convêm. Todas as coisas me são lícitas, mas eu não me deixarei dominar por nenhuma delas”. (1Co.6.12);
“A fé que tens, tem-na para ti mesmo perante Deus. Bem-aventurado é aquele que não se condena naquilo que aprova”. (Rm.14.22).

CONCLUSÃO

Quando você estiver diante de uma questão doutrinária ou prática. Procure antes de iniciar qualquer debate, saber se é uma questão aberta. Fazendo assim poupará o seu precioso tempo de está discutindo algo que não vale a pena. Se você desconhece o assunto, estude mais antes de expô-lo. Confira na sua Bíblia, veja se há referências o suficiente, se a Bíblia é clara sobre o assunto, se há uma harmonia entre os livros da Bíblia. Seja moderado, evite os extremos, não feche questões que a Bíblia não fechou, não diga aquilo que o Senhor não disse. A Bíblia tem admoestações para aqueles que assim fazem:

“Disse-me o SENHOR: Os profetas profetizam mentiras em meu nome, nunca os enviei, nem lhes dei ordem, nem lhes falei; visão falsa, adivinhação, vaidade e o engano do seu íntimo são o que eles vos profetizam”. (Jr.14.14).

“Toda palavra de Deus é pura; ele é escudo para os que nele confiam. Nada acrescentes às suas palavras, para que não te repreenda, e sejas achado mentiroso”. (Pv.30.5,6).

Siga as seguintes orientações da Palavra de Deus:

"Seja a vossa moderação conhecida de todos os homens. Perto está o Senhor". (Filipenses.4.5).

"... pense com moderação, segundo a medida da fé que Deus repartiu a cada um". (Romanos.12.3).

"... Deus não nos tem dado espírito de covardia, mas de poder, de amor e de moderação". (2Timóteo 1.7).


Observação: Não responderei aos comentários, deixei-os abertos para direito de resposta. Dúvidas e mais esclarecimentos sobre os meus textos, escreva para: 

Dúvidas e esclarecimentos escreva para: web-assessoria@bol.com.br
Direito de resposta: coloque abaixo seu comentário e aguarde a liberação do moderador do blog.

Nenhum comentário: